Claudia Schiavone

...Essaúna, Cigana, Cleópatra... Muitas vidas... Infinitas palavras!

Textos


APENAS UMA CRÔNICA...
Ando tão cansada...
Às vezes acho que não vou suportar! Com tudo que busco e acredito...
Preciso crescer mais, decepcionar-se menos e entender que não agradamos à todos. Fôssemos nós uma pedra, talvez agradaríamos mais, pois seríamos sempre a mesma coisa, do mesmo jeito, e uma leve mudança que o tempo forçosamente nos impusesse, dificilmente seria notada.
Não se pode mudar, não se pode deixar de fazer o que sempre fizemos, não se pode deixar de amar alguém, não se pode dizer o que se sente (já que nunca dissemos), não se pode ficar à toa ou só em alguns momentos...
Cansada de falsidade e joguinhos, de ciúmes tolos entre amigas, de fofocas infantis, de pessoas em cima do muro.
Cansada de sentir isso em meu coração, por coisas pequenas!
Cansada de dizer que viver bem é simples e que simples  é minha alma, e que pouca ambição eu tenho pelas coisas materiais. Cansada de olhares tortos e cheios de inveja...Inveja sem motivos, porque basta ser você e fazer as coisas que lhe agradam na vida, que o brilho é natural. Porque brilho começa pelos olhos, que faíscam com o prazer do que lhe satisfaz!
Cansada de dedos apontados e julgamentos, da falta de respeito pelo que você acredita e o que você não concorda.

Mudei, mudei muito! E mudarei muito mais, porque evoluir requer mudanças! Basta ver a história das civilizações, a evolução genética, o mundo todo!
Não nasci pedra! Regressei a esse Plano com um propósito: crescer!
E crescer dói modifica, incomoda, leva tempo e muita reflexão.
Aceitar o outro, respeitar opiniões, entender quando algo acaba ou começa, entender que existem pessoas na mesma sintonia e que por isso se dão bem... São coisas básicas e fundamentais!
Cansada de ouvir o que não mereço e “ter” que explicar o que não se explica!
Amor verdadeiro é sincero, seja entre família, entre amantes, entre irmãos, entre amigos. Cansada de quem não me vê e não me conhece por dentro! Mesmo porque sou uma só! Meu corpo é transparente, minha alma fica exposta!
E defeitos todos temos, mas apontar os alheios é tão mais cômodo, e cego! Porque corrigir-se é ver, enxergar as suas falhas, e isso não é tão prazeroso.
Cansada! Mas aqui, fazendo o que gosto, descanso... Escrevo!
Até o cansaço faz-me grata, pois nessa reflexão me policio, para não cometer com os outros, “erros” tão medíocres!
Claudia Schiavone-  03/04/16
Claudia Schiavone
Enviado por Claudia Schiavone em 03/04/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras